sábado, 3 de maio de 2014

CONFIRAM AS ATRAÇÕES DA 126a. EDIÇÃO DO FANZINE QI


                Edgard Guimarães lança a 126ª. edição do fanzine QI com 20 páginas repletas de curiosidades e informações sobre o universo das Histórias-em-Quadrinhos – como é praxe nesta publicação, que completa em 2014 sua ‘maioridade’, 21 anos de existência! Autor da capa e da contracapa (com um inspirado e melancólico Poeta Vital refletindo sobre o tempo), o editor Ed Guimarães assina quase todos os ótimos artigos presentes nesta edição, com seu conhecimento do assunto e bom-humor habituais: em ‘Mistérios do Colecionismo’, comenta algumas edições brasileiras produzidas visando o mercado internacional; em ‘Desvendando A Alma Em Matéria Pouca’, comenta as curiosidades e os ‘malabarismos’ dos tradutores das HQs, as vezes resvalando no ridículo; mesmo que não tenhamos nessa edição a coluna ‘Heróis Brasileiros’, Ed comenta a respeito de O Careca, de Alan Voiss, personagem que se tornou cult entre os aficionados da HQ brazuca. Outro artigo muito interessante é sobre a passagem do grande artista brasileiro Gutemberg Monteiro pela editora Warren, ilustrando capas e HQs de terror. De quebra, Guimarães apresenta duas crônicas muito agradáveis, uma relatando seu encontro com Eduardo Vetillo, artista que desenhou no passado em revistas de Quadrinhos muito populares como Os Trapalhões, Spectreman e Chet e hoje produz caprichados álbuns com temática histórica; e outra relembrando seus tempos de garoto, mais especificamente sobre um trabalho escolar que produziu em forma de HQ. Na coluna ‘Mantendo Contato’, Worney de Almeida relembra os gibis do Palhaço Pixoxó, artista de cidade de Piracicaba/SP que teve três edições em Quadrinhos produzidas pelo estúdio Magno Arte. Além do Fórum dos leitores e da divulgação das edições independentes, os encartes também estão por aqui: no último ‘Cotidiano Alterado’, o artista em foco é o norte-americano Rube Goldberg e seu Boob McNutt; além da seqüência da HQ de faroeste Buster, do artista português José Pires. Por si só, esta edição já poderia ser considerada a melhor desde a renovação do QI no centésimo número – imaginem então se levarmos em conta o precioso presente do editor, um suplemento de capa colorida e 34 páginas sobre Quadrinhos Europeus No Brasil, um impressionante catálogo apresentando & comentando sobre autores e personagens europeus publicados no Brasil desde a década de 50 do século passado até os dias de hoje! Se a catalogação não é completa (e nem essa é a intenção do editor/autor), haja vista que seria trabalho hercúleo digno de um museólogo experiente, ainda assim é quase completa! Coisa admirável e, para leitores como eu, um caipira cinquentão tal como o editor do QI, esta edição representou uma viagem maravilhosa ao passado, quando as bancas estavam repletas de publicações de todo estilo – mesmo que, na época (anos 70 do século XX), eu pouco me importasse a respeito da nacionalidade dos autores. Desde já, uma obra indispensável para quem quiser estudar o mercado editorial brasileiro das Histórias-em-Quadrinhos. Escrevam para o editor Edgard Guimarães e não deixem de conhecer essa preciosidade – edgard@ita.br (JS) 
PS: Que Edgard Guimarães já tenha sido responsável por enriquecer sobremaneira a historiografia dos Quadrinhos eu já sabia; o que eu ainda não sabia, e só vim a saber após ler o fórum de leitores desta edição do QI, é que este fanzine já tenha sido o responsável por um casamento! Que maravilha! Além de notável fanzineiro, editor, ilustrador, roteirista, pesquisador, o Ed também é um eficiente cupido!


Um comentário:

Laerçon Blues Man disse...

Esse sempre foi um dos fanzines mais completos do meio alternativo, e continua sendo, ainda bem que o Q.I dura até hoje.