sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

SAIU A 18a. EDIÇÃO DE RAIO NEGRO, COM ROTEIROS INÉDITOS DE GEDEONE MALAGOLA!

A intenção era lançar esta 18ª. edição de Raio Negro Super Herói no final do ano passado, para celebrar os 50 anos de criação do personagem de Gedeone Malagola em 1964, mas alguns imprevistos na gráfica acabaram por atrasá-lo um mês (mas enfim, antes tarde do que nunca). A data de criação apresenta uma certa polêmica. Talvez vocês encontrem por aí um veterano editor vociferando contra isso – um editor que é reconhecido por destratar seus subalternos, no passado, e hoje, pela incomum arrogância com que atua nas redes sociais, desde os tempos do orkut. De minha parte, o testemunho pessoal de, por volta do ano de 2004, ter recebido das mãos do próprio Gedeone um material que ele gostaria que fosse transformado num fanzine comemorativo dos quarenta anos de criação do Raio Negro, o qual co-editei de muito bom grado. Neste fanzine consta claramente que Gedeone afirma ter criado o Raio Negro em 1964. É claro que prefiro acreditar no próprio Gedeone – que conservou a boa memória até o fim de seus dias, como podem facilmente atestar os familiares e amigos mais próximos do artista – do que no tal editor que destratava seus subalternos. E muito significativo nesta edição do Raio Negro é apresentar roteiros escritos pelo próprio Gedeone Malagola em seus últimos meses de vida, ele que estava tão curioso em vê-los ilustrados, mas infelizmente partiu deste mundo antes que isso fosse possível. Mas a nós resta apreciar esses roteiros agora ilustrados por Emir Ribeiro (autor da capa e da ilustração abaixo) e Ulisses Almeida, que os transformaram em duas ótimas HQs, honrando a memória e a criatividade do célebre autor do Raio Negro e do Homem Lua. Parabéns, Raio Negro, pelos 50 anos de existência! E que possa ficar tantos outros cinquenta anos conosco! (JS)

Um comentário:

rod_gonzalez disse...

Amigo Salles, fico contente com esse lançamento, já tem gente me pedindo nas ruas, o Raio Negro é um personagem PROCURADO pelas pessoas, qual personagem estrangeiro goza desse privilégio nos dias atuais?
Quanto ao velho editor grosseiro que se acha, eu até respeitava ele porque editou algumas coisas legais, mas recentemente discuti com ele no facebook porque mais uma vez ele estava lá diminuindo a importância dos super-heróis brasileiros e seus autores. E tinha muita gente que se diz defensor do quadrinho nacional, que chama Gedeone mestre, mas tava lá puxando o saco só porque o cara é "famoso". Eu não ligo se o cara é famoso ou não e já falei no meu blogue, já passou da hora de quem defende de fato o quadrinho nacional ROMPER totalmente com os velhos pesquisadores e desconsiderar tudo que eles falavam sobre o quadrinho nacional porque está tudo errado! São esses mesmos caras que falavam que no Tico Tico não tinha super-heróis. Que diabo de pesquisadores eram esses?