terça-feira, 28 de janeiro de 2014

SINAIS

    No Evangelho de Mateus, por duas vezes, os fariseus e escribas pedem a Jesus que lhes mostre algum sinal de que seja Ele o enviado de Deus. Jesus apenas diz que fazem parte de uma geração má e adúltera, e que não fará sinal nenhum, exceto aquele já feito pelo profeta Jonas (uma alusão aos três dias que separariam sua morte da ressurreição). O evangelista Lucas, ‘médico de homens e de almas’, também alude a essa passagem.
                Pois bem, na semana passada, dois episódios que vi pela tv me deram a firme impressão de que estava diante de sinais de Deus para nós. Encontrei-os também no youtube, permitam-me pois compartilhar essas fortes emoções com vocês fiéis leitores desse blog.
                O primeiro evento se deu no triste cenário da guerra civil na Síria. Uma criança de colo, soterrada por escombros, foi resgatada com vida. Confiram a dramática sequência no youtube:


                Reparem que o vídeo já começa mostrando aquelas pessoas procurando resgatar a criança, ou seja, já sabiam que havia uma criança soterrada lá. E, na filmagem, a cabeça da criança é descoberta por volta do segundo minuto do filme. Isso quer dizer que ela ficou muito mais tempo do que isso soterrada – tempo suficiente para sufocar não só uma criança, mas um adulto robusto. Não sei quanto a vocês, amigos e amigas, mas eu, mesmo um cara durão como eu, chorei compulsivamente vendo essas imagens. Fiquei pensando naquelas pessoas que, mesmo atabalhoadamente (e isso é perfeitamente compreensível, naquela situação desesperadora), salvando aquela criança. E tudo indica que aquelas pessoas não são do Exército do tirano Basser Al Assad, tampouco são os vagabundos sanguinários da Al Qaeda. Mas gente do povo, trabalhadores sírios que, assim como aqueles de qualquer parte do mundo, lutam dia-a-dia pela sobrevivência, luta evidentemente muito mais sofrida quando se vive num país assolado pela guerra civil. E a criança ressurgindo dos escombros, cheia de vida, provocando imensa alegria nas pessoas ao redor.
                O outro evento que me deixou bastante emocionado aconteceu aqui mesmo no Brasil, na cidade goiana de Anápolis. Um dramático atropelamento, avó e neto de quatro anos de idade sendo brutalmente atingidos por automóvel desgovernado, tudo flagrado por câmeras de segurança. Confiram as imagens chocantes:


                Reparem que o carro desgovernado passa por cima das pernas da avó mas principalmente pelo corpinho da criança – e por duas vezes, a segunda, em cima do pescoço! E vejam que o menino levanta-se imediatamente, como se nada tivesse acontecido! Não consta na imagem do youtube, mas vi num canal de televisão a avó e o netinho sendo entrevistados um dia após o acidente, o menino somente com alguns arranhões no rosto e nos braços! Nem uma única, mísera costela fraturada.

                Fico imaginando a dificuldade dos céticos e dos idólatras da ciência diante de imagens como esta. “Tiveram sorte”, talvez fosse tudo que pudessem dizer. Mas, para nós, cristãos de todos os matizes, as evidências parecem bem claras: trata-se, em ambos os casos, de proteção divina, da ação dos anjos de Deus! Uma criança que era para se tornar mais uma vítima da guerra fratricida, sufocada sobre toneladas de escombros, emerge cheia de vida; e um garotinho que deveria ter as costelas e o pescoço estraçalhados pelo peso de um automóvel, levanta-se ereto, quase entusiasmado. E o fato desses dois episódios terem sido filmados e assim mostrados para um imenso número de pessoas, parece a mim dois inequívocos sinais de Deus – e que sirva também para os ateus, para os céticos, para os idólatras: sinais de que, a despeito dos tiranos, dos senhores da guerra, dos motoristas irresponsáveis, é a vida que sempre triunfa! Quem tiver olhos de ver, que veja! (JS)

Um comentário:

Verônica S. de Souza Saiki (Very) disse...

Pois é, com tanta coisa acontecendo quase não percebemos estes detalhes, os sinais da presença de Deus e as vezes ainda ficamos em dúvidas quando eles acontecem, acredito que estes surgem para que mesmo em dias de cansaço não percamos a fé ;)