quarta-feira, 29 de agosto de 2012

DE VOLTA REAÇÃO, O SUPER-HERÓI REACIONÁRIO

Li certa vez de um ‘valente’ não-identificado, um dos inúmeros idiotas que se aproveitam das possibilidades de anonimato oferecidas pela internet, dizendo o seguinte, após uma resenha feita sobre o primeiro número do gibi Reação, da Júpiter II: “O Salles é tão ignorante que nem sabe o que é reacionário!”. Pois bem, alguém que chama outrem de ignorante deve ser, imagino, um poço de cultura e sabedoria – ainda que lhe falte coragem para mostrar a cara, para mostrar o nome verdadeiro. Mas enfim, independente desse ‘culto e valente’, reafirmo: Reação é sim um super-herói reacionário, na medida em que se afasta das características dos atuais supers dos Quadrinhos – especialmente dos enfadonhos marvéticos e decenóicos da atualidade, tristemente inspirado nos asquerosos justiceiros e volverines da vida. É isso que significa o Reação, uma... reação contra a paranóia, as neuroses, as perversões e ódios que marcam grande parte dos personagens dos Quadrinhos da atualidade. Neste terceiro número de Reação (21 cm x 15 cm, capa couchê colorida e 28 páginas preto & branco) uma incrível coincidência faz com que um bandido vulgar tenha acesso às pílulas que dão superforça e poder de vôo, provocando pânico na cidade. Mas Luís Cláudio e seu mentor, o General Olímpio, farão de tudo para deter o super-meliante. Desenhos do artista de rua paulistano, o retratista William Cabral – ele também é autor da capa (colorizada por Wellington ‘Vulto’ Santos). A edição ainda inclui ilustrações por Dennis Oliveira, Márcio Rogério Silva e do mestre Elmano Silva. smeditora@yahoo.com.br

Um comentário:

J.C.C. disse...

Atrás do teclado do computador, todos são valentes. Fora do mundo virtual, a história é bem outra...
O que eu gostei neste gibi do Reação, em particular, é a inserção de um tema clássico - que é a do heroi às voltas com um inimigo que é uma versão maligna dele mesmo. E o tema é tratado com leveza, sem as perversões típica dos gibis atuais. Me diverti muito, lendo!